Mal se iniciou o processo democrático de desmantelamento das estruturas do autointitulado Estado Novo e da instituição de um regime democrático logo se multiplicaram os movimentos e organizações das forças derrotadas, financiadas pela clique milionária arredada do poder, para sabotar o processo democrático. // Ex-pides, ex-legionários, ex-governantes, lacaios e filhos das famílias donas do país que lhes fugia das mãos, estabeleciam os seus estados-maiores em Espanha, onde contavam com o apoio do franquismo e de organizações da extrema-direita internacional. São estes movimentos e organizações secretas objeto central desta obra de Maria José Tíscar Santiago. // Neste seu trabalho a autora oferece-nos a palpitante paisagem destas organizações em ação, Exército de Libertação de Portugal (ELP), Movimento Democrático de Libertação de Portugal (MDLP), Movimento Maria da Fonte e outras, internacionais, que se ocultavam sob o disfarce de sociedades comerciais ou jornalísticas, como era o caso da Aginter Presse. (do Prefácio de Raimundo Narciso)