Escrever não é uma tarefa fácil e prazerosa. A partir desta afirmação, o professor Odenildo Sena põe em xeque os mitos que envolvem a prática intelectual de redigir um bom texto e se recusa a oferecer receitas, dicas e técnicas prontas e enfadonhas. Diferente desse caminho tradicional e de resultados pouco animadores, propõe em seu livro A engenharia do texto uma viagem extremamente didática e inovadora, onde estudantes e interessados caminham lado a lado com a vasta experiência do autor.
Ao longo desse percurso, entram em contato com o contínuo processo de desconstrução e construção de textos, com o objetivo de se familiarizar com a engenharia de sua construção. Para isso, trabalham arduamente com a sua mais elementar unidade de composição - o parágrafo -, até atingirem o domínio das ferramentas básicas necessárias à elaboração do que Sena chama de textos plenos e complexos, envolvendo um conjunto de parágrafos.
Ao final da viagem, estudantes e interessados se veem diante de seus próprios textos e confirmam que, embora não seja uma tarefa fácil e prazerosa, o produto da boa escrita, resultado da disciplina, da dedicação, da leitura e de muita prática, pode ser extremamente gratificante.