Num sótão, quatro crianças procuram o tesouro do avô nas caixas e nos baús guardados pelo tempo, sob o olhar atento de seres fantásticos que ali estão presos no silêncio e no pó do passado.
Nesse sótão, acontecem maravilhas: histórias contadas, brincadeiras, diversões, dança, teatrinhos, circo e descobertas de pedaços de vida.
O Sótão do Paraíso é uma alegoria, figurando um lugar mágico, onde estão guardados os valores mais preciosos do passado da família.
Trata-se de um texto infanto-juvenil, género teatral, dividido em oito cenas, que aborda temas como: a infância, o sonho, a imaginação, a fantasia, a liberdade, a ação, em oposição aos valores superficiais, à indiferença, ao comodismo e ao medo.