Emmanuel Todd, neste livro, traça o quadro bastante realista de uma grande nação da qual o domínio foi incontestável, mas cujo declínio relativo parece irreversível. Na realidade, os Estados Unidos enfraqueceram, e é para compensar esta fraqueza que fazem pretensas demonstrações de força, que tomam medidas de intimidação contra actores menores (Iraque, Irão, Coreia do Norte, Cuba). Fazem-no mantendo um certo nível de tensão internacional, bloqueando a resolução do conflito israelo-palestiniano, promovendo a elevação do terrorismo ao estatuto de força universal para institucionalizar um estado de guerra permanente à escala do planeta, através da designação de um "eixo do mal". Algumas destas manifestações não são as de uma "hiperpotência", mas sim as de um país que faz tudo o que pode para dar a ilusão de ser ainda o centro do mundo ora o mundo começa a perceber que os Estados Unidos são menos importantes do que eram... O objectivo estratégico dos Estados Unidos já não é o de "garantir a democracia mundial", mas de aprovisionar bens e capitais, controlando assim politicamente os recursos mundiais...