"Murmúrios Ventos" é uma arte: a de conseguir respirar a unidade do universo em todos os instantes. Através da poesia de Jorge Casimiro, tomamos consciência da
indestrutibilidade da vida, do tempo que marca o efémero, o mesmo tempo que podemos vencer, para chegarmos à essência das coisas e dos seres. Raros são os autores que
conseguem traduzir a poesia por palavras. E é com a essência das palavras, com aquele seu lado que os séculos não desgastam, que Jorge Casimiro cria e escreve sentimentos
indizíveis. Porque a sua poesia é um estado de amor intenso, um roçar o mistério e os segredos do mundo. Murmúrios Ventos é uma viagem por caminhos recônditos. É preciso
mergulhar nas nossas fontes mais profundas para que a poesia brote assim, pura, melodiosa. E se as formas se perdem nesta corrida circular que é a vida, interessa reter na
poesia de Jorge Casimiro o sentido do presente e da sua eternidade, sem âncoras do passado e do futuro. Tudo existe agora - tudo é.
Para ilustrar este amar o amor, Ana Casimiro escolheu formas ondulantes, como o azul do mar, praias e desertos femininos, mulheres feitas de lua e do eterno. Murmúrios Ventos
abre a colecção poéticas que a Pássaro de Fogo dedica a poetas de língua portuguesa.