Existe uma arte infantil? As produções infantis serão apenas uma actividade lúdica? Uma maneira de exprimir conflitos, frustrações? Ou devemos vê-las como um aspecto específico, verdadeira criação? Os autores ventilam todas estas questões procurando responder-lhes, dedicando também muitas páginas a tratar das técnicas e atitudes a adoptar para estimular nas crianças a livre manifestação das suas tendências e gostos. Salienta-se quanto, do ponto de vista do desenvolvimento da personalidade, as actividades artísticas podem constituir um factor formativo, desinibidor e até terapêutico, justamente pelo seu valor criativo. Este livro inclui desenhos e pinturas de crianças, com particular destaque para seis delas que os autores conseguiram localizar vinte anos mais tarde, comparando os depoimentos (aqui incluídos) dos jovens adultos com as suas próprias observações sobre a personalidade dessas crianças. Um livro que interessa a professores, psicólogos, pais e a todos os educadores de um modo geral.