Stuart Mill considerava que a subjugação de um sexo ao outro era «errada em si mesma» e constituía «um dos principais obstáculos ao progresso humano». O sistema social, no que aos direitos da mulher dizia respeito, era a continuidade da escravatura primitiva na medida em que as mulheres eram privadas de quaisquer direitos. Com efeito, estavam até pior do que se fossem escravas, pois os homens, não só lhes exigiam obediência, como também queriam o seu afecto!

(Do Prefácio)