Um pensador entre dois mundos, suspenso entre o Renascimento e a Modernidade, Thomas Hobbes é, certamente, a maior expressão da filosofia política produzida em língua inglesa. Considerado por muitos o verdadeiro fundador da filosofia política moderna, seu pensamento só foi plenamente reconhecido entre os ingleses depois de ter atravessado o Canal da Mancha e ser recebido em Paris, por obra de Mersenne, Sorbière e Gassendi. De pensador maldito durante a guerra civil, passou a ser respeitado, depois da Restauração, como uma verdadeira instituição inglesa. É esse filósofo paradoxal que se descobre na presente obra como pensador da guerra e defensor da paz, pois a conclusão da autora é que "os monstros Behemoth e Leviatã, em seu combate permanente, são, cada qual, guardiães tanto da guerra como da paz".