O último livro de Peter H. Fogtdal é um romance histórico narrado pela voz de uma anã
dinamarquesa que foi oferecida a Pedro Alexeievich, czar da Rússia, durante a sua visita à
Dinamarca em 1718. Sorine é uma mulher irascível, amarga e sem pruridos na linguagem que usa para descrever a vida na corte, o génio perturbado de Alexeievich ou o tratamento a
que eram submetidos naquele período os homens e as mulheres com deformidades físicas. Primeiro forçada a saltar de um bolo-surpresa para entreter o ilustre czar, depois transformada em bobo da corte, Sorine apaixona-se pelo anão favorito de Pedro lexeievich, torna-se confidente de amantes reais e czarinas, é fechada num convento e exibida no Museu das Artes do Czar como um animal exótico, ao lado de esquimós, gigantes e hermafroditas. Uma vida insólita, sinuosa e aventureira, onde a dignidade humana raras vezes tem espaço.